in

Pastor agride mulher em culto por ela ser divorciada e foge em seguida

O pastor Ney Valdecy Ferreira, da Assembleia de Deus Ministério Pleno Amor, em Cuiabá (MT), transformou o culto em sua igreja no último domingo (20) em um verdadeiro caso de polícia.

Publicidade

Um casal de fiéis da igreja decidiu se divorciar após 17 anos de casados. A mulher foi então ao templo no último domingo levar a filha, para que ela acompanhasse o culto com o pai, que estava lá. Ao perceber a mulher na igreja, o pastor Ney Valdecy Ferreira teria se exaltado, e partiu para a grosseria.

“Ele pegou no meu braço e me questionou o seguinte: ‘O que você está fazendo dentro desta igreja. Você não tem vergonha por ser ex-mulher dele e estar aqui dentro do ministério? Eu simplesmente fui até a igreja para poder levar a minha filha e deixar com o pai dela, porque fui casada com ele durante 17 anos. Deixei a minha filha lá, fui ao banheiro. Quando eu estava voltando, ele pegou no meu braço e me questionou isso: ‘o que eu estava fazendo lá na igreja.’ Eu disse para ele: ‘Solta de mim, e ele não quis soltar, e eu gritei: ‘Solta de mim.”, conta a mulher à TV Vila Real, de Curitiba.

O pastor foi conversar com um “apóstolo” para definir a situação, mas seguia inconformado com a presença da mulher recém-divorciada na igreja.

Ao ver a discussão, uma filha do pastor foi tirar satisfação com a mãe da fiel divorciada, que também estava presente no culto. Trata-se de Dona Maria Aparecida, de 54 anos, que teve que suportar as agressões do pastor logo em seguida.

PUBLICIDADE

“O que sua filha está gritando com o meu pai?”, teria dito a jovem à Dona Maria Aparecida, que lembra de como o pastor se comportou ao avistar que as duas conversavam.

“O pastor Ney saiu lá do púlpito, empurrou ela (a própria filha) e foi me esmurrando, só me esmurrando”, lembra Maria Aparecida, que diz ter caído no chão com as agressões, que continuaram a acontecer enquanto ela estava deitada.

Um boletim de ocorrência foi registrado e a polícia foi até à igreja para prender o pastor Ney Valdecy Ferreira, mas ele fugiu do local e ainda não foi localizado.

Ele apagou suas redes sociais, onde publicava seus textos e reflexões bíblicas, e disse por telefone à TV Vila Real que quem provocou as agressões foi sua filha, não ele. Mas quando foi questionado se uma adolescente conseguiria bater tão forte, ele desligou a chamada.

Publicidade

Angola fecha mais 4 templos da Igreja Universal no país e total vai a 11

Padre Robson tinha mansão de luxo na Bahia que foi paga à vista, diz MP