Pastor gay comenta preconceito na igreja evangélica: “Deus nos aceita”

O programa “Superpop” da Rede TV! de ontem (10), abordou as divergências da fé evangélica. A apresentadora Luciana Gimenez disse que muitas vezes se pega pensando no porquê existirem tantas diferenças entre igrejas de uma mesma religião, e disse que isso a motivou a falar sobre o assunto no programa.

A questão mais discutida foi a da homoafetividade, condenada pelas correntes mais tradicionais da igreja, e defendida por vertentes mais liberais, as chamadas igrejas inclusivas, que aceitam pessoas gays, héteros e de diferentes estilos de vida. 

Pastor gay e diversos casais falam sobre aceitação na igreja.
Pastor gay e diversos casais falam sobre aceitação na igreja.

Foram ouvidas pessoas de referência no assunto, como a pastora Lanna Holder, ex-Assembleia de Deus que pregava a “cura gay”, mas que depois se assumiu homossexual e lançou uma igreja inclusiva, a “Comunidade Cidade Refúgio”, com sua esposa Rosania. 

Além dela, o pastor Marcos Gladstone, que fundou a Igreja Contemporânea, falou sobre o aumento do número de casamentos gays nas igrejas. O evangélico, que também é casado com outro homem, afirmou que o há espaço para essas pessoas no reino de Deus.

“Na verdade, a gente tem que dizer que, no plano de Deus, os homossexuais não estão excluídos. Onde tiver amor, onde tiver fidelidade, uma relação de querer estar um com o outro, a gente não pode negar [o casamento]. E Deus vai sim aceitar, e vai querer essa relação, abençoar essa relação”, acredita.

O programa trouxe vários depoimentos contra e a favor sobre o tema, com diferentes pastores. Assista abaixo na íntegra:

Tadeu Ribeiro
[email protected]