in

Pastor que chamou negros de “encardidos e sujos” pede perdão: ‘Grosseria’

O pastor Rodrigo dos Santos, que virou notícia nos portais brasileiros nesta quarta-feira (17), após proferir falas racistas durante live com sua esposa, publicou um vídeo de perdão nas redes sociais, após a repercussão negativa do episódio.

Publicidade

Na live que fez com sua esposa Jessica Maciel, o pastor contava como a tinha conhecido, anos atrás, na Igreja Batista do Calvário, em Toledo (PR).

Na descrição do pastor, a esposa se destacou no meio dos outros fieis quando ele a avistou pela primeira vez, pelo fato dela ser “loira” e moradora do “bairro mais nobre da cidade”, enquanto o restante dos fieis da igreja eram “moreninhos” e “meio encardidos”.

Edna Nunes, que fundou a Embaixada Solidária de Toledo, além de representantes da Associação dos Jovens Haitianos (Ajohavito), do Grupo Senzala de Capoeira e do Instituto Quilombo Tekoah, decidiram fazer uma denúncia à polícia contra o pastor Rodrigo pelo crime de racismo. O B.O. deve ser feito nesta quinta-feira (18).

O Ministério Público do Paraná (MP-PR) disse que já tomou ciência do caso, e fará uma análise para adotar as medidas cabíveis.

PUBLICIDADE

“O preconceito que sentimos na fala desse moço é o que a gente vê de forma velada todos os dias. Mas na sociedade, na escola, nas igrejas, o preconceito se mostra como um crime perfeito, pois as pessoas falam isso de forma mascarada no dia a dia.”

Edna Nunes, líder da Embaixada Solidária de Toledo.

José Marcelo dos Santos, que é o pastor da Igreja Batista do Calvário de Toledo, da qual os fieis foram vítimas das palavras ofensivas, disse que a denominação não tem ligação com o pastor Rodrigo, já que ele não frequenta a comunidade há pelo menos oito anos. Afirmou também que a igreja não concorda com as palavras preconceituosas e racistas proferidas por ele.

Após a repercussão negativa, o pastor Rodrigo dos Santos e sua esposa Jessica Maciel excluíram suas redes sociais, mas Rodrigo acabou publicando um vídeo com um pedido de desculpas nesta quarta-feira (17), gravado na Suíça, onde ele está morando atualmente.

O pastor afirmou que sua atitude foi “infantil” e suas palavras foram “grosseiras”, e pediu perdão a todos os que se sentiram ofendidos. Confira:

“Não era a minha intenção de forma alguma magoar alguém, ofender alguém e, de forma alguma, ser racista, mas agi com palavras infantis e estou aqui para reconhecer, e repugnar todas as minhas palavras, aquela minha atitude grosseira. Quero pedir perdão para todas as pessoas que eu tenha ofendido, em especial, a comunidade negra, que tem se ofendido com as palavras. Queria pedir o perdão de cada um de vocês”, disse.

Publicidade

Flordelis tinha taco de beisebol “para bater nos outros”, diz filho à polícia

Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro, é preso em Atibaia (SP)