in

Porta dos Fundos prepara especial de natal 2020 com sátira da crucificação de Jesus

A companhia de teatro Porta dos Fundos se prepara para lançar nos próximos meses seu especial de natal 2020, após receber críticas ferozes ao seu programa do ano passado – “A Primeira Tentação de Cristo – que foi alvo de protestos de uma ala cristã mais conservadora.

Publicidade

O projeto desse ano se chamará “Teocracia em Vertigem” (em inglês, “The Edge of Theocracy”), e será um paródia do documentário “Democracia em Vertigem”, que foi indicado ao Oscar 2020 de “Melhor Documentário”, e que retratou os bastidores do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff.

A paródia natalina, no entanto, será ambientada na época do Messias, e contará “a verdadeira história por trás do golpe que levou à crucificação de Jesus Cristo”.

Para isso terá 25 depoimentos, entre Pôncio Pilatos, apóstolos, e até figuras anônimas, que darão seus testemunhos sobre “o golpe da crucificação”.

A história foi escrita por Fábio Porchat, que também interpretará Jesus Cristo no especial, um personagem sem falas discursivas, mas que canta. Petra Costa, que dirigiu o documentário “Democracia em Vertigem”, fará uma participação especial.

PUBLICIDADE

Ao contrário dos anos anteriores, a Netflix não irá produzir ou exibir o material, que será disponibilizado apenas no canal do Youtube do Porta dos Fundos, na primeira semana de dezembro.

Em 2019, o grupo de teatro de comédia sofreu censuras na justiça por seu especial de natal, e foi alvo até de um grupo de manifestantes extremistas que jogaram uma bomba na sede da produtora.

Os protestos se deram pelo fato do Porta ter retratado Jesus Cristo como um gay, interpretado por Gregório Duvivier, que se relaciona com o jovem Orlando (Fábio Porchat). Além disso, Deus (Antonio Tabet) vive um triângulo amoroso com José (Rafael Portugal) e Maria (Evelyn Castro).

Publicidade

Vacina da China contra Covid tem baixo efeito colateral e é prevista pra dezembro

Com projeto do filho deputado, R.R. Soares tem perdão de R$ 38 milhões