Conecte-se conosco

Mais Conteúdo

Prefeito de São Paulo, Bruno Covas, morre de câncer aos 41 anos

Publicado

em

Bruno Covas, prefeito da maior cidade do Brasil, São Paulo, morreu na manhã deste domingo (16), aos 41 anos. O político lutava contra um câncer no sistema digestivo com metástase nos ossos e no fígado, desde 2019.

A notícia da morte do prefeito foi divulgada pela Prefeitura de São Paulo, na manhã deste domingo. Ele estava internado desde o dia 02 de Maio no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, e morreu às 08h20 deste 16/05. Ele deixa o filho Tomás, de 15 anos.

Na última sexta-feira (14), ele teve uma piora no quadro de saúde e a equipe médica informou que seu quadro havia se tornado irreversível. Segundo a sua equipe médica, nas últimas horas de vida, o prefeito recebeu sedativos e analgésicos para não sentir dores.

De acordo com os familiares, o corpo de Bruno Covas será levado para o Edifício Matarazzo, sede da Prefeitura, onde, às 13h00, haverá no hall monumental do 3º andar uma cerimônia breve para familiares e amigos próximos.

Depois disso, seguirá em carro aberto em um cortejo até a Praça Oswaldo Cruz. O enterro será na cidade de Santos, em cerimônia restrita à família.

SOBRE BRUNO COVAS

Bruno Covas nasceu em Santos em 7 de abril de 1980. Ele era o neto favorito de Mário Covas, prefeito da capital na década de 1980 e governador do estado entre 1995 e 2001. Ele era divorciado e pai de Tomás, de 15 anos.

O prefeito se candidatou a vice-prefeito na chapa de João Doria (PSDB), em 2016, na qual saíram vencedores no primeiro turno. Dois anos depois, em 2018, Covas assumiu a Prefeitura de São Paulo, quando Doria deixou o cargo para se candidatar a governador do estado.

Em 29 de outubro de 2019, Bruno iniciou o tratamento contra o câncer, que previu inicialmente 8 sessões de quimioterapia, sem deixar o cargo de prefeito e despachando por meio de assinaturas digitais.

Em abril DE 2021, o prefeito passou 12 dias internado. Ele precisou ficar internado mais tempo que o previsto, após serem detectados acúmulo de líquidos ao redor do pulmão e no abdômen e novos pontos da doença no fígado e nos ossos.

Ele teve alta no dia 27 de abril e voltou a ser internado no dia 2 de maio, quando anunciou a decisão de se licenciar do cargo de prefeito por 30 dias, vindo a falecer neste domingo (16/05).

Covas foi reeleito com 59,38% dos votos, 3 milhões, em 2020 com alianças formado por 11 partidos e maioria na Câmara Municipal. A gestão paulistana ficará sob responsabilidade do vice-prefeito, Ricardo Nunes (MDB).

Clique para comentar

Você precisa estar logado para postar um comentário Login

Deixe um Comentário













+ Acessadas da Semana