in

Priscilla Alcantara diz que não se considera uma cantora gospel

Priscilla Alcantara - Foto: Reprodução

Ela se tornou uma das maiores cantoras cristãs do Brasil, tendo lançado músicas de sucesso como “Espírito Santo”, “Meu Primeiro Amor”, “Tudo É Teu” e “Girassol”, este último com a participação do humorista Whindersson Nunes. Mas, com o passar do tempo, Priscilla Alcantara mudou seu estilo musical para o pop e é alvo de críticas dos evangélicos, por conta dessa mudança e de seus posicionamentos.

Aos 24 anos, Priscilla Alcantara já foi apresentadora de televisão, atriz de cinema e possui diversos álbuns lançados. Após sair do Bom Dia & Cia., do SBT, a artista optou por seguir carreira musical. Lançou várias canções gospel e foi considerada uma dos melhores cantores cristãs do Brasil, ao lado de Aline Barros, Bruna Karla, Anderson Freire e muitos outros.

No entanto, Priscilla resolveu mudar seu estilo musical. Começou a cantar músicas pop, e constantemente, têm divulgado momentos cantando músicas seculares. Logo, despertou muitas críticas de fãs e seguidores, principalmente dos evangélicos. Além disso, seu posicionamento, opiniões e atitudes sobre alguns temas, como tatuagens, aborto e temas sociais, não vem agradando muitos cristãos, que questionam se ela saiu da igreja ou se desistiu de cantar gospel.

ENTREVISTA COM TIAGO ABRAVANEL

A cantora Priscilla Alcantara concedeu entrevista recentemente ao apresentador Tiago Abravanel, para o seu programa ‘Sai da Caixa’. A entrevista, publicada na manhã desta quarta-feira (09), a artista revelou alguns detalhes da sua carreira e aproveitou para cantar músicas da dupla Sandy & Junior e do cantor Chorão.

Em uma parte da entrevista, a cantora foi questionada por Tiago se algum momento ela precisou ‘sair da caixa’ para atender o mercado, respondendo que sempre gravou músicas, não para atender uma pessoa ou o mercado, e sim, porque quis. Além disso, falou das divergências que possui com os evangélicos, principalmente, na forma de cantar e de se posicionar.

“Nunca gravei uma música porque era que tinha que gravar. Sempre, porque eu queria. E quando eu cheguei e cheguei, no momento que eu não fiz mais, eu fiz essa transição, que é o que eu tô vivendo hoje. Então, eu sempre fui cristã, todo mundo sempre soube disso, mas a minha visão sobre arte, espiritualidade talvez me diverte de muita gente, da mesma fé que eu”, contou a artista.

“E eu decidi só começar a falar sobre isso, expor sobre isso, de como o artista cristão não não precisa ser limitado à temática religiosa. Ele sabe filtrar o que é bom, ele sabe ver o que que é belo, o que que é verdadeiro, o que tem bondade, ele sabe, sabe disso. Todo mundo tem essa capacidade, não é só por causa da minha fé que eu deveria limitar tudo em mim”, disse ela.

Em seu último álbum “Gente”, a cantora abordou temáticas sobre emoções e sentimentos, e segundo Priscilla, “muita gente não entendeu”. Perguntada por Tiago Abravanel se ela se considera uma cantora gospel, Alcantara respondeu que “não” e justificou sua resposta.

“Não, porque, tipo, aí entra na definição, o que que é ser uma cantora gospel? Pra mim, é sobre um rótulo e eu acho que a vida é muito mais que rótulo. A vida é sobre quem você é dentro. Então, eu poderia ser, falar para vocês ‘sou uma cantora gospel’ e por dentro ser podre e não refletir nada de Jesus. Faz algum sentido? Agora, faz sentido eu falar ‘eu sou uma cantora pop’, porque eu posso cantar uma temática religiosa, eu posso cantar um Charlie Brown Jr. ou um Sandy & Junior”, disse.

“E o que importante é que quando eu estiver cantando ou A ou B, o meu caráter continue refletindo o caráter de Cristo. Pronto, pra mim é muito mais interessante, real, ser assim”, finalizou a cantora.

Laudo atesta que Amanda Wanessa dirigia a 130 km/h quando sofreu acidente

Troféu Gerando Salvação 2020: confira os looks dos artistas na premiação