Conecte-se conosco

Gospel

Saiba de qual igreja é Padre Kelmon, que tem como vice o Pastor Gamonal

Publicado

em

Padre Kelmon - Imagem: SBT

O padre Kelmon Luis da Silva (PTB) estreou neste sábado (24/09), em debates presidenciais, no SBT. O religioso se destacou na audiência das redes, pelos trajes característicos da matriz ortodoxa da Igreja Católica e sua defesa do movimento pró-vida.

Padre Kelmon é nascido em Acajutiba, na Bahia, e se diz ortodoxo, uma denominação cristã. Além disso, celebra missas e batismos na Bahia ganhando notoriedade em grupos conservadores graças ao discurso contra a esquerda.

Apesar de não atuar em nenhuma igreja ortodoxa no país, Kelmon fundou e coordena o Movimento Cristão Conservador Latino-Americano e esteve à frente do Movimento Cristão Conservador do PTB — ele se licenciou pouco antes de figurar como postulante ao Palácio do Planalto.

O cargo hoje é ocupado pelo seu candidato a vice-presidente, o Pastor Luiz Cláudio Gamonal, também do PTB. O religioso atua em Juiz de Fora, em Minas Gerais, e é diretor do Movimento Cristão Conservador do partido.

IGREJA ORTODOXA

A Igreja Ortodoxa é uma igreja cristã, considerada, com uma doutrina semelhante à da Igreja Católica, mas que possui uma doutrina mais reta, mais rígida.

A denominação, que também é chamada como Igreja Católica Ortodoxa ou Igreja Ortodoxa Oriental, é uma comunhão de igrejas cristãs autocéfalas, herdeiras da cristandade do Império Romano Oriental, que reconhece o primado de honra do Patriarcado Ecumênico de Constantinopla desde que a sede de Constantinopla e Roma deixaram de comungar, resultando no Grande Cisma. Reivindica ser a mesma instituição anunciada por Jesus, considerando seus líderes sucessores dos apóstolos.

A Igreja Ortodoxa é presente no Brasil tanto por imigrantes e seus descendentes quanto por comunidades inteiras de brasileiros convertidos. A primeira Divina Liturgia do país da qual se tem registro foi celebrada em 1897, com a primeira paróquia, a Igreja da Anunciação à Nossa Senhora, construída em São Paulo em 1904 pela comunidade sírio-libanesa e presidida pelo Arquimandrita Silvestros As-Seghir como vicariato patriarcal da Igreja de Antioquia, emergindo da mesma comunidade.

Em 1958, esta comunidade seria elevada ao status de arquidiocese, com Dom Ignatios Ferzli presidindo-a como o primeiro bispo residente no país.

Hoje existem paróquias das igrejas de Antioquia (tanto pela Arquidiocese Ortodoxa Antioquina de São Paulo e Todo o Brasil quanto por Vicariato Patriarcal), da Russa, do Patriarcado Ecumênico (tanto pela Arquidiocese Grega quanto pela Eparquia Ucraniana), da Polonesa e da Sérvia no país.

A Igreja Ortodoxa se vê como a verdadeira igreja criada por Jesus Cristo, além de não reconhecerem o Papa como autoridade. Para os cristãos ortodoxos, como são chamados, não existe purgatório e não acreditam na virgindade de Maria após a concepção.

Além disso, os padres são liberados para o casamento, desde que este tenha ocorrido antes da sua conversão, e apenas os bispos são obrigados a manter o celibato, ou seja, devem ficar solteiros.

As duas últimas comunidades são basicamente compostas por brasileiros convertidos, mas estes também se encontram presentes nas outras, que recebem brasileiros e fazem atividade missionária pelo país. Segundo censo demográfico do Brasil de 2010, o Brasil conta com 131.571 cristãos ortodoxos no país.

PATRIMÔNIO PADRE KELMON

O candidato, ainda desconhecido por muitos na véspera das eleições, foi alçado a cabeça de chapa depois que a candidatura de Roberto Jefferson (PTB) foi indeferida no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O religioso declarou ao TSE ter patrimônio de R$ 8.547,13, investidos em caderneta de poupança, e sua candidatura recebeu apenas uma doação nominal de R$ 5 mil, de seu vice. Além da doação, o autointitulado sacerdote tem acesso a R$ 1,54 milhão de Fundo Especial para a campanha.







+ Acessadas da Semana

Você não pode copiar o conteúdo desta página