Sarah Sheeva é questionada sobre os 3 casamentos de Bolsonaro e defende Michelle

A palestrante gospel Sarah Sheeva, que mantém o chamado “Culto das Princesas”, comentou em seu Instagram sobre a situação do presidente Jair Bolsonaro (PSL) e seus três casamentos, já que grande parte dos evangélicos, inclusive a própria Sarah, pregam que Deus odeia o divórcio e novos casamentos.

Primeiro casamento de Bolsonaro com Rogéria Nantes Nunes Braga Bolsonaro, e o terceiro matrimônio, com a primeira-dama Michelle.
Primeiro casamento de Bolsonaro com Rogéria Nantes Nunes Braga Bolsonaro, e o terceiro matrimônio, com a primeira-dama Michelle.

Para quem segue essa linha teológica, o divórcio e o novo matrimônio, são considerados adultério, baseado nas palavras de Jesus:

“Também foi dito: Qualquer que deixar sua mulher, dê-lhe carta de divórcio. Eu, porém, vos digo que qualquer que repudiar sua mulher, a não ser por causa de fornicação, faz que ela cometa adultério, e qualquer que casar com a repudiada comete adultério. (Mateus 5:31,32).

Sendo assim, de forma objetiva, Jair e Michelle Bolsonaro estariam cometendo adultério, por esta ser a 3ª união matrimonial do presidente eleito, celebrada, inclusive, pelo Pr. Silas Malafaia.

“Oi, Sarah, já que você prega sobre relacionamentos, me tira uma dúvida aqui, meu anjo… Como fica a situação do Bolsonaro, que já vai no terceiro casamento, mas ainda assim prega a favor da família e é apoiado pela maioria dos cristãos sem noção da igreja evangélica no país?”, questionou um seguidor.

A escritora gospel, então, respondeu: “Bom, que eu saiba ele não é crente, nunca seguiu os princípios que eu ensino e creio (que casamento é 1 só). Portanto, como eu posso cobrar uma conduta cristã bíblica de alguém que nunca seguiu isso? Estou feliz por ele ter VALORES ligados à família, e estou crendo e orando pela conversão dele. Amém irmão? “, escreveu.

Mas uma seguidora fez questão de lembrar que, embora Bolsonaro não seja evangélico, sua terceira esposa e atual primeira-dama, Michelle, era na época em que se casaram: “Mas e como fica a Michelle Bolsonaro? Porque ela já era cristã”, questionou.

Sarah Sheeva, que já criticou, inclusive, Bianca Toledo por ter se casado pela terceira vez, então, disse que não poderia julgar Michelle Bolsonaro, pois não a conhecia, e relativizou a questão do terceiro casamento do presidente, afirmando que precisaria ver o tipo de formação que a primeira-dama possuiu na sua igreja:

“Eu não posso afirmar nada sobre a vida dela porque não a conheço, não sei se ela era crente, e muito menos se ela conhecia os princípios que eu ensino da Palavra. Veja a quantidade de pessoas que se dizem cristãs evangélicas, mas que são fracas de Bíblia… são muitas. É só observar alguns comentários. Tem gente que não sabe absolutamente nada do BÁSICO. Por exemplo: é básico saber sobre “pecadinho e pecadão”, mas tem gente aqui que me chamou até de herege porque não sabe.

É básico saber que casamento DE CRENTE não tem devolução, mas mesmo assim existem muitos crentes que não sabem, que pensam que a sua felicidade está acima do princípio de Deus. Enfim, há muitos “crentes” sem ensino hoje em dia, ou muitos que estão sendo ensinados de forma errada = a doutrina da PORTA LARGA, que é satânica, mas que existem até “pastores” que ensinam. Portanto, eu não posso afirmar nada sobre uma mulher cuja trajetória de conversão EU NÃO CONHEÇO. Se algum dia eu conhecer, pode ter certeza que farei meus lindos comentários sobre esse assunto. Amém? Abraços”, escreveu Sarah Sheeva.

Não ficou claro, no entanto, porque a proibição a casamentos sucessivos, defendido por Sarah Sheeva, foi relativizado para Bolsonaro e sua esposa, se para outras pessoas ele é analisado de forma objetiva. Até porque a exceção teológica para novos matrimônios trazida na Bíblia é clara: apenas em caso de morte de um dos cônjuges. O que não aconteceu com o casal em questão.

Tadeu Ribeiro
[email protected]