Sarah Sheeva diz que mulher crente que usa decote pode ter “capeta escondido”

A escritora e palestrante gospel Sarah Sheeva, filha de Baby do Brasil, e que é famosa por seu “culto das princesas”, fez uma publicação sobre a sensualidade feminina que está dando o que falar.

Sarah Sheeva mantém o "Culto das Princesas".
Sarah Sheeva mantém o “Culto das Princesas”.

Sarah Sheeva disse que há dois grupos de mulheres evangélicas que usam decote: as que sabem que é errado, na visão da pastora, mas usam mesmo assim; e as que não percebem a maldade disso.

Ela também afirmou que as mulheres possuem uma espécie de “poder”, dado por Deus, para “dar prazer” aos homens, se estes simplesmente olharem para elas. Mas advertiu que é necessário ter cuidado, e usar esse “poder” com responsabilidade.

Sobre as mulheres evangélicas que usam decote, mesmo sabendo que é “errado”, Sarah Sheeva disse que elas:

“Revelam que tem ou:
1) Um coração rebelde, espírito de rebelião.
2) Baixa autoestima e falta de identidade.
3) Capeta de sensualidade escondido.
4) Capeta de prostituição escondido.
5) Deformidade de caráter escondido.
Entenda: O caráter está diretamente ligado às VONTADES.
Mulher CRENTE que tem: VONTADE DE MOSTRAR OS PEITOS PARA QUEM NÃO É SEU MARIDO (se não é por ignorância e falta de instrução) certamente o faz porque tem um caráter deformado pelo pecado e/ou pelo sentimento de rejeição. É necessário passar por um processo de libertação, pois as nossas vontades revelam o nosso caráter, e nosso caráter revela as nossas vontades. Vontade de obedecer a Deus e se guardar, revela um caráter que já foi tratado e transformado. Vontade de desobedecer a Deus, e de ser rebelde, revela um caráter totalmente desalinhado de Cristo. Vamos mudar? Vamos obedecer? Jesus merece a sua mudança. Ele te ama, morreu virgem numa cruz para que você possa viver livre nessa Terra. Honre a Ele com seu corpo também.”, escreveu a pastora na legenda.

Antes, Sarah Sheeva criticou o programa “Amor e Sexo” da TV Globo, e sugeriu um programa gospel no lugar.

Tadeu Ribeiro
[email protected]