in

Sikêra Jr é condenado a pagar 30 mil reais à trans por associá-la a crime

Sikêra Jr. foi condenado a pagar 30 mil reais em danos morais à transgênera modelo Viviany Beleboni, que encenou Jesus Cristo na Parada do Orgulho LGBT em 2015.

Publicidade

Sikêra Jr. utilizou a imagem do protesto feito por Viviany para ilustrar um crime cometido por duas mulheres lésbicas que mataram o filho, e que não tem relação alguma com a modelo trans.

O apresentador da RedeTV! disse ainda que “isto é um lixo, uma bosta, uma raça desgraçada”, apontando para a foto da modelo em rede nacional.

Nos autos do processo, segundo o colunista da Folha Rogério Gentile, Sikêra Jr. alegou que não quis comparar a modelo trans às assassinas, e que “apenas emitiu opinião sobre movimentos que, como a Parada Gay e seus adeptos, tratam com chacota os símbolos do cristianismo”.

Modelo Viviany Beleboni foi falsamente associada por Sikêra Jr a crime.
Modelo Viviany Beleboni foi falsamente associada por Sikêra Jr a crime.

“Ao sair desfilando vestida de Jesus Cristo, deveria ter previsto que tal manifestação chocaria a sociedade”, disse a advogada Viviane Barros Vidal, que representa Sikêra Jr. no caso.

PUBLICIDADE

O juiz do processo, Sidney da Silva Braga, entendeu em sua decisão, no entanto, que ficou comprovado que Sikêra Jr. se utilizou do fato da modelo ser transgênera e da imagem pessoal dela para associá-la à prática de um crime que não tem ligação alguma com ela.

“O fato de a autora ser artista reconhecida não autoriza que possa ter sua imagem exposta sem autorização e ser chamada de ‘raça desgraçada’ em contexto de crítica à prática de um crime que com ela não tem qualquer relação”, disse o juiz na sentença.

Além do pagamento de R$: 30 mil reais e dos honorários de sucumbência, o magistrado determinou que a imagem da modelo seja retirada de vídeos da reportagem publicados no Youtube. Cabe recurso da decisão.

Publicidade

Papa Francisco nomeia 6 mulheres para órgão da Igreja que só tinha homem

Silas Malafaia é condenado a pagar 15 mil por mentir sobre Marcelo Freixo