in

Silas Malafaia é massacrado na internet por defender gravidez de criança

O pastor Silas Malafaia está sendo “massacrado” na internet em uma publicação na qual ele critica a interrupção da gravidez de uma menina capixaba de 10 anos de idade, que foi vítima de abusos do tio.

Publicidade

Sem formação jurídica ou médica, Silas Malafaia gravou um vídeo com “argumentos jurídicos e científicos” que ele considera suficientes para atestar que o procedimento abortivo não deveria ter sido feito na criança, que só tem 10 anos.

Do ponto de vista jurídico, há um consenso majoritário no sentido de que o Código Penal Brasileiro é claro ao permitir que a gravidez seja interrompida se for oriunda de um abuso, bem como se colocar em risco a vida da mãe. Essas duas hipóteses se aplicam no caso da criança de Vitória (ES).

Mesmo assim, o pastor Silas Malafaia fez um malabarismo gigantesco para tentar convencer seus seguidores de que a criança, que foi abusada desde os 6 anos de idade pelo tio, desse à luz a outra criança, fruto de toda essa violência.

Pastor Silas Malafaia recebe críticas na internet.
Pastor Silas Malafaia recebe críticas na internet.

Os seguidores do pastor, no entanto, não concordaram, em sua maioria, com as declarações de Silas Malafaia, e fizeram duras críticas ao religioso.

“Você não me representa Pastor! Lamentável! Em nenhum momento o Senhor falou do sofrimento dessa criança de 10 anos, que nem os órgãos ainda tem formado para gerar uma criança”, disse uma mulher.

PUBLICIDADE

“Um país onde preocupa-se mais com o aborto do que com o estupor. N.O.J.O. Sequer procuram estudar o básico e saber que uma criança de 10 anos não tem estrutura FÍSICA nem PSICOLÓGICA pra gerar um bebê. FAÇA-ME UM FAVOR, VÁ FAZER ESSE ESTARDALHAÇO NA CASA DOS MILHÕES DE PAIS QUE ABANDONAM SEUS LARES E NA PORTA DAS CADEIAS ONDE HÁ ESTUPRADORES”, disse outra.

Um seguidor também questionou os argumentos jurídicos do pastor, afirmando que ele não tem notório saber técnico no assunto. Outro listou os artigos do Código Penal Brasileiro que permitem a interrupção da gravidez em hipóteses que se aplicam ao caso.

“Você não é notório saber em nada. Não há direito absoluto. Precisa estudar mais. Hierarquia das leis não têm a ver com a supremacia de um direito sobre outro”, explicou.

Nas respostas, o pastor Silas Malafaia continuou defendendo suas opiniões, argumentando que tem conhecimento técnico sobre as leis e sobre a ciência médica, mesmo não tendo formação na área, e afirmando que as pessoas que discordam dele não entendem do assunto.

Publicidade

Carnaval de Salvador é adiado para julho de 2021, decide prefeito

Avó esquece neta de 4 anos em carro de aplicativo na Paraíba