Conecte-se conosco

Mundo Cristão

Silas Malafaia diz que não conversará com Sergio Moro: “Judas e traíra”

Publicado

em

O pastor Silas Malafaia, da Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC), declarou que não se reunirá com Sergio Moro, pré-candidato à Presidência da República, Sergio Moro. A declaração do religioso vem após vários encontros do ex-juiz com líderes evangélicos.

Moro tem se dedicado nas últimas semanas a diversos encontros com lideranças evangélicas — já esteve com mais de 50, segundo aliados. Segundo o portal O Globo, nas reuniões, o ex-ministro da Justiça tem se apresentado como um “conservador moderado e democrático” e feito acenos à agenda de costumes mais cara aos religiosos. Em dezembro de 2021, por exemplo, Moro se encontrou com o Missionário R.R. Soares, da Igreja Internacional da Graça de Deus.

Diante dessa corrida do pré-candidato ao Planalto para ganhar votos do público evangélico, Silas Malafaia se manifestou e foi para criticar Sergio Moro. O pastor classificou o pré-candidato do Podemos como “Judas e traíra”.

O ex-juiz tem um interesse de falar com Malafaia, no entanto, o pastor disse que não dará atenção ao ex-ministro da Justiça e ainda criticou a atuação de Moro enquanto ele era integrante do governo.

“No ano passado, ele viu trabalhadores sendo presos por causa de governos esquerdopatas insensatos e não abriu a boca para nada. Eu vou dar atenção a um cara desse? Manda ele plantar batata”, disse Malafaia na última segunda-feira (17/01), ao participar de uma transmissão ao vivo no canal ConservaTalk.

Silas chamou Moro de Judas, covarde e afirmou que ele “não merece a consideração do povo brasileiro”.

“Além de Judas, [Moro] é um covarde, porque esperou um momento difícil de [Jair] Bolsonaro para tentar sair em glória e se ferrou. Eu não falo com um cara que era ministro da Justiça e não deu um pitaco, uma palavra da covardia de governadores e prefeitos contra o povo pobre vendendo laranja, limão para viver. E esse caboclo ficou calado. Então, é um covarde que não merece a consideração do povo brasileiro”, opinou o pastor.













+ Acessadas da Semana

Você não pode copiar o conteúdo desta página