in

Vacina da China contra Covid tem baixo efeito colateral e é prevista pra dezembro

João Doria (PSDB), governador do estado de São Paulo, afirmou em entrevista coletiva nesta quarta-feira (23), que 94,7% dos mais de 50 mil voluntários que participam do teste da Coronavac, vacina contra o coronavírus desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac em parceira com o Instituto Butantan, não tiveram nenhum tipo de reação adversa.

Publicidade

“Esses resultados comprovam que a Coronavac tem um excelente perfil de segurança e comprova também a manifestação feita pela Organização Mundial da Saúde (OMS), indicando a Coronavac como uma das 8 mais promissoras vacinas em desenvolvimento no seu estágio final em todo o mundo”, disse o governador.

Foram testados os efeitos adversos do medicamento em 50.027 voluntários chineses, desses, de acordo com os dados divulgados, apenas 5,36% apresentaram alguma reação, dentre os quais dores leves no local onde a vacina foi aplicada (3,08%), fadiga (1,53%) e febre moderada (0,21%).

“Os resultados dos estudos clínicos realizados na China mostraram baixo índice de efeitos adversos e de baixa gravidade. Efeitos adversos de baixa gravidade são comuns em vacinas amplamente utilizadas. A vacina da gripe, por exemplo, produzida pelo Instituto Butantan, apresenta efeitos pouco nocivos como dor no local da aplicação, e não mais do que 10% dos que são vacinados apresentam reação dessa natureza”, disse João Dória.

O governador citou ainda outro estudo, que apontou uma alta eficácia do medicamento nas fases 1 e 2, realizadas na China: a resposta imunológica dos idosos submetidos aos testes da vacina ficou entre 98% e 99%.

PUBLICIDADE

“Além de segura a CoronaVac está se mostrando altamente eficiente. Na China, demostraram que a CoronaVac apresentou 98% de eficiência na imunização das pessoas que foram lá testadas”, disse Doria.

O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, disse no entanto que a eficácia da vacina só poderá ser realmente comprovada após a conclusão da fase 3, que está sendo realizada aqui no Brasil.

João Doria (PSDB) revelou ainda nesta quarta-feira que a previsão do governo é de que a vacinação da Coronavac comece na segunda quinzena de dezembro deste ano de 2020, para médicos e paramédicos.

“Deveremos por óbvio aguardar a finalização desta terceira e última fase de testagem, os seus resultados e a aprovação da Anvisa. Mas já em dezembro, na segunda quinzena, poderemos iniciar a imunização de acordo com os critérios de vacinação adotados pela Secretaria da Saúde e dentro do protocolo também do Ministério da Saúde. E os primeiros que receberam a vacina, obviamente, serão médicos e paramédicos”, disse o governador.

Publicidade

Padre Robson tinha mansão de luxo na Bahia que foi paga à vista, diz MP

Porta dos Fundos prepara especial de natal 2020 com sátira da crucificação de Jesus