Daniela Mercury processa pastor que a chamou de escrava de satanás

A cantora baiana Daniela Mercury apresentou queixa-crime contra o pastor evangélico e deputado estadual da Bahia, Sargento Isidório. A peça foi protocolada no último dia 31.

Daniela Mercury decide processar pastor por injúria.
Daniela Mercury decide processar pastor por injúria.

A confusão ocorreu a partir do Festival de Inverno de Garanhuns (FIG) deste ano. Daniela Mercury usou seu palco no evento para protestar contra a censura de uma peça no festival, que foi vetada pela prefeitura pelo fato da atriz que interpreta Jesus Cristo ser uma travesti.

Após pedir respeito pelas minorias, Daniela Mercury classificou a censura como sendo um ato “de uma petulância absurda”, e recebeu críticas posteriores da administração da cidade, assim como o cantor Johnny Hooker. E uma dessas críticas veio do Sargento Isidório, que a chamou de “endemoniada”, e “escrava de Satanás”, além de outras declarações de baixo calão.

A cantora decidiu processar o pastor por injúria, quando alguém tem sua honra pessoal atingida por agressões verbais, e que tem pena de 1 a 6 meses de detenção, sendo cabível, ainda, indenização por danos morais na esfera cível.

O Sargento Isidório não foi encontrado para comentar o caso, que ainda está em fase de inquérito policial. O espaço está aberto.

Tadeu Ribeiro
[email protected]