in

Empresário humilha manobrista em bar de luxo em Campinas (SP) e gera revolta

Um manobrista de 30 anos foi ofendido, humilhado e ameaçado por um empresário durante uma discussão por causa de uma vaga de estacionamento irregular. O caso aconteceu em um bar localizado em um bairro de classe alta de Campinas, interior de São Paulo, no sábado (28), mas só agora imagens da discussão foram publicadas na internet. Um boletim de ocorrência foi registrado.

Publicidade

A discussão aconteceu na área de estacionamento do bar Seo Rosa, que fica no bairro Gramado, classe alta da cidade. Jailton Silva do Nascimento disse ao UOL que o empresário Tiago Zouain Gonçalves, de 40 anos, chegou alterado, e estacionou em local proibido.

“Fiz a minha obrigação: perguntei a ele se podia tirar o veículo da vaga que ele ocupou, e expliquei que era um local irregular e que poderia causar uma multa, algo do tipo. Ele se alterou e começou a me xingar”, contou.

No vídeo feito por uma testemunha, Gonçalves aponta o dedo constantemente em direção a Jailton e faz o sinal de arma com a mão algumas vezes, enquanto a vítima permanece sentada.

“Dá a chave do carro aqui, vou pegar meu cano [arma] lá. Vou dar um tiro na cabeça desse m… aqui. Seu m…. Vai ver o tamanho do buraco que sai atrás da sua cabeça, seu b…. (…) Você é um m…. O que você ganha em um mês, eu gasto em um dia”, gritou o empresário.

“Eu fiquei apavorado. Por mais que tentasse manter a calma, tive muito medo. Vai saber se ele não tinha uma arma mesmo”, aponta o manobrista, que veio da Bahia há oito anos para Campinas e trabalha desde então em uma empresa que presta serviços para vários estabelecimentos.

Ao perceber que a discussão não terminava, o gerente do estabelecimento foi e colocou Gonçalves para dentro do bar, numa tentativa de apaziguar a situação.

PUBLICIDADE

A Polícia Militar foi acionada e não encontrou arma no veículo, mas orientou o manobrista a registrar o boletim de ocorrência. O BO foi feito na terça-feira (1), como injúria e ameaça. No dia em que tudo aconteceu, Gonçalves teria deixado o local levado pelo pai e um advogado.

“Ele estava visivelmente embriagado. Eu fiquei em choque com tudo aquilo. Nunca tinha me acontecido na vida. Só tive sangue frio de ficar ouvindo tudo, sem perder a razão”, afirmou o manobrista.

O Seo Rosa destacou, por meio de nota encaminhada à imprensa, a maneira que o manobrista lidou com a situação — com serenidade e sem se alterar, e diz que oferece todo o apoio ao funcionário terceirizado, além de repudiar as agressões verbais e ameaças.

O UOL foi ao endereço registrado em nome de Tiago no boletim de ocorrência. Porém, funcionários do local afirmaram que ele deixou o prédio, que fica no centro de Campinas, “há uns seis meses, pelo menos”.

A página na rede social do homem foi apagada, apesar de ainda ser possível localizá-la em sites de buscas.

A reportagem ainda tenta localizar o advogado de defesa do empresário. Assim que o contato for estabelecido, a matéria será atualizada com o posicionamento.

Publicidade

Justiça tira guarda da filha de Flordelis por maus tratos e ela reclama: ‘Absurdo’

Ministro da Justiça defende Ana Paula Valadão mas erra ao divulgar dados