Conecte-se conosco

Mais Conteúdo

Filme com Fábio Porchat é detonado na web por fazer piada com pedofilia

Publicado

em

Cena de Como se Tornar o Pior Aluno da Escola com Fábio Porchat gerou polêmica - Imagem: Netflix

O filme brasileiro “Como se tornar o pior aluno da escola”, de 2017, e que estreou na Netflix, se tornou alvo de críticas na internet neste domingo (13/03). Isso porque muitos internautas dizem que uma das cenas “incentiva a pedofilia”.

A obra baseada em um livro homônimo escrito pelo apresentador Danilo Gentili, lançado em 2017 e disponível na Netflix, entrou nos assuntos mais comentados do Twitter, e diversos perfis da rede social associaram o filme à pedofilia. Danilo Gentili, a Netflix e o ator Fábio Porchat, que integra o elenco do longa, foram criticados.

Internautas repudiaram a classificação de censura do filme que é para 14 anos e, muitos dizem, por conta de cenas que estão presentes na obra, o longa e a plataforma de streaming estão “incentivando a pedofilia”.

Uma cena de cunho sexual vivida por Cristiano (Fábio Porchat) tem sido bastante comentada pelo público. Nas imagens, Cristiano pede que duas crianças (presentes na cena), façam um ato sexual nele. “Vocês batem uma p####ta pro tio”, diz o personagem para as crianças. E, ainda na imagem, a cena sugere que Cristiano coloca a mão da criança em seu órgão genital, satisfazendo seu desejo.

Centenas de internautas, políticos e conservadores protestaram na internet contra a exibição do filme. O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) afirmou que os pais precisam ficar “de olho” no que os filhos assistem na Netflix. “A esquerda queria passar estupro de vulneráveis de 14 para 12 anos. JB [Jair Bolsonaro] + cristãos impediram”, afirmou, em referência à idade indicativa do filme.

A deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) disse que o filme é “repugnante” e naturaliza a pedofilia “a fim de normalizá-la”. “Já informei ao Ministério da Família ao qual oficiarei, assim como denunciarei ao MP e solicitarei informações ao CNMP [Conselho Nacional do Ministério Público] acerca dos procedimentos em curso”, disse ela.

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, disse neste domingo (13), que vai determinar “imediatamente” que a pasta adote providências contra o filme. “Assim que tomei conhecimento de detalhes asquerosos do filme ‘Como se tornar o pior aluno da escola’, atualmente em exibição na Netflix Brasil, determinei imediatamente que os vários setores do Ministério da Justiça adotem as providências cabíveis para o caso”, disse Anderson Torres.

Apesar da repercussão negativa, Gentili se defendeu, dizendo que sente “orgulho” por desagradar petistas e bolsonaristas em “um mesmo nível de intensidade”.

“O maior orgulho que tenho na minha carreira é que consegui desagradar com a mesma intensidade tanto petista quanto bolsonarista. Os chiliques, o falso moralismo e o patrulhamento: veio forte contra mim dos dois lados. Nenhum comediante desagradou tanto quanto eu. Sigo rindo”, escreveu o humorista, através de sua conta no Twitter.













+ Acessadas da Semana

Você não pode copiar o conteúdo desta página