in

Justiça determina tornozeleira eletrônica para Flordelis, que se diz perseguida

A deputada gospel Flordelis (PSD) terá que usar tornozeleira eletrônica, e não poderá sair de casa entre as 23h e as 6h, por decisão da justiça carioca.

Publicidade

O Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) pediu à justiça também que a afaste de seu cargo como deputada federal, mas a juíza do caso entendeu que só cabe à própria Câmara dos Deputados afastar ou não a parlamentar.

Flordelis já está respondendo a um processo administrativo na Casa. Ela apresentou defesa na última semana.

O MP-RJ alegou que a deputada gospel dificilmente era encontrada para receber intimações, o que justificaria o uso da tornozeleira eletrônica. Além disso, citou a explosão de uma bomba na casa de uma testemunha que falou contra Flordelis nas investigações.

PUBLICIDADE

“Acolho os fundamentos expendidos pelo MP, diante da efetiva dificuldade de localização da ré Flordelis que impossibilita também a fiscalização do cumprimento da cautelar de proibição de contato da denunciada com corréus (…). A evidenciar ainda mais a necessidade de aplicação das duas cautelares há, ainda, o relato da testemunha Regiane, que teme até mesmo por sua integridade física, sentindo-se ameaçada em especial pela ré Flordelis e seu filho e corréu Adriano”, decidiu a juíza Nearis dos Santos Carvalho Arce, da 3ª Vara Criminal de Niterói.

No último dia 18, Flordelis pediu às deputadas federais, durante um fórum de debate virtual, que a ajudem a ficar no cargo, e disse que tem sofrido perseguição.

“Está acontecendo comigo agora uma violência muito grande contra mim por ser deputada federal. Aconteceu um crime na minha casa e eu não cometi tal crime . As acusações contra mim não têm nada a ver, são acusações absurdas “, disse Flordelis. “Queria pedir o apoio das mulheres, que me apoiem, que me ajudem. Eu vou conseguir provar minha inocência. Eu sou inocente”, afirmou.

Publicidade

Pastor morre afogado em bordel horas depois de inaugurar igreja em SP

Igreja Batista da Lagoinha é alvo de protestos contra a homofobia em BH