Flordelis não concorda com investigação da Polícia Civil na morte de seu marido

A cantora gospel Flordelis disse ontem (19), durante visita à Delegacia de Homicídios de Niteroi, que deseja “justiça pela morte do marido, seja o culpado quem for”.

Cantora gospel Flordelis é amparada no enterro de seu esposo, Anderson do Carmo.
Cantora gospel Flordelis é amparada no enterro de seu esposo, Anderson do Carmo.

Mas não é bem assim que ela processou as coisas até agora. A cantora gospel tem constantemente colocado em xeque o trabalho da Polícia Civil do Rio de Janeiro, que investiga a morte do pastor Anderson do Carmo.

A linha de investigação mais aceita pela polícia é a de que o esposo da cantora gospel foi morto por um de seus filhos, após estes, supostamente, descobrirem que ele estaria traindo Flordelis com outra mulher. A hipótese de latrocínio já foi descartada pela polícia.

Durante o enterro de Anderson do Carmo, a Polícia Civil prendeu dois filhos do casal. Lucas dos Santos, de 18 anos, foi levado para uma unidade socioeducativa para menores infratores. Quando era menor, ele se envolveu com tráfico de drogas.

Já Flávio dos Santos, filho biológico de Flordelis, tinha um mandado de prisão pendente por violência doméstica.

A Polícia Civil cumpriu, ainda, mandado de busca e apreensão na casa da cantora gospel, e encontrou uma pistola 9 milímetros enrolada em um pano, em cima de um armário no quarto de Flávio dos Santos, um dos filhos preso no sepultamento. A delegada do caso afirmou que a perícia inicial indicou que a pistola encontrada seria a arma utilizada no crime.

Flordelis nega que sabia da existência de armas em sua casa, e disse que a polícia estaria fazendo sensacionalismo.

“A polícia queria “aparecer”. Minha filha conta que os mesmos policiais que levaram meu filho também estavam na cerimônia de velório em nossa igreja na noite anterior. Por que não agiram naquele momento, mas só no enterro? Vou avaliar tudo isso e vou entrar com uma ação com tudo o que for cabível.”, afirmou em entrevista ao site controlado por sua gravadora MK Music.

Com relação aos tiros, outra divergência. O Instituto Médico Legal (IML) do Rio de Janeiro indicou que o pastor Anderson do Carmo levou 15 tiros e foi perfurado 30 vezes, entre tiros que entravam e saíam de seu corpo. Cerca de 9 tiros foram desferidos na região da coxa, virilha e pênis, o que indicaria o crime passional.

A cantora gospel Flordelis, no entanto, diz que seu esposo só estava com 12 perfurações, e não 30 como diz a polícia.

“Não. E isso [ter sofrido 30 perfurações] é uma inverdade. Nós ouvimos apenas seis tiros. Estão falando em 30 tiros, 60 tiros. E vão inventando. Ele teve 12 perfurações e mais as duas perfurações que encontraram no carro. Ou seja, um total de 14. Chegaram a dizer que não seria possível abrir o caixão porque meu marido estaria com o rosto desfigurado, já que tinha levado muitos tiros. Mas eu mandei abrir o caixão e o rosto dele estava normal. Ninguém me chamou ou chamou alguém da família para ir ao IML checar alguma coisa. Mas foi meu sobrinho que vestiu ele e disse que ele não estava cheio de furos.”, garante.

Sobre a informação de que o pastor estaria lhe traindo, a cantora gospel Flordelis afirmou que isso não seria possível, tendo em vista que ele estava sempre acompanhado dos filhos.

“Na delegacia me perguntaram sobre alguma suspeita dele estar me traindo. Eu respondi que, pelo que sei, meu marido não estava me traindo. Que eu saiba, nunca vi nada. Disse que poderiam entrar em minhas redes sociais e investigar minha vida com ele. Nós estávamos muito bem. Nunca percebi nenhum envolvimento de meu marido com ninguém. Podem até dizer que eu estou tentando proteger. Mas ele nunca saia sozinho, estava sempre com um filho ou com outro, trabalhando sem parar. Como ele teria tempo para isso?”, questionou.

O inquérito do assassinato do pastor Anderson do Carmo segue na Polícia Civil do Rio de Janeiro, acompanhado por um promotor do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do Ministério Público do Estado.