Pastor evangélico pede perdão à comunidade LGBT e anuncia divórcio

Um pastor evangélico que ficou mundialmente conhecido após publicar um livro exaltando o casamento e criticando namoros de jovens anunciou que estava se divorciando. A informação veio junto de um desabafo publicado em suas redes sociais.

Pastor evangélico Joshua Harris.
Pastor evangélico Joshua Harris.

Joshua Harris é autor do livro best-seller I Kissed Dating Goodbye, que vendeu milhares de cópias no mundo. Nele, o pastor afirmava que os jovens deveriam evitar os namoros, por considerar que eles treinavam as pessoas para se divorciarem quando surgissem problemas no futuro matrimônio. O certo, na visão passada do pastor, seria as pessoas já partirem logo para o casamento.

Agora, o escritor anunciou em um post no Instagram na última sexta-feira (26) que não é mais um cristão, e pediu desculpas à comunidade LGBTQI+. Confira abaixo o texto na íntegra (traduzido do inglês):

“Meu coração está cheio de gratidão. Eu gostaria que vocês pudessem ver todas as mensagens que as pessoas me enviaram após o anúncio do meu divórcio. São expressões de amor, embora se entristeçam ou desaprovem fortemente a decisão. 

Estou aprendendo que nenhum grupo tem o mercado encurralado na graça. Esta semana recebi a graça de cristãos, ateus, evangélicos, ex-helméticos, pessoas heterossexuais, pessoas LGBT e todos os outros. 

É claro que também houve fortes palavras de repreensão de pessoas religiosas. Embora nem sempre seja agradável, sei que eles estão querendo me amar. (Também houve comentários rancorosos e odiosos que me enfureceram e me feriram).

A informação que foi deixada de fora do nosso anúncio [de divórcio] é que eu sofri uma grande mudança em relação à minha fé em Jesus. A frase popular para isso é “desconstrução”, a frase bíblica é “caindo”.

Por todas as medidas que tenho para definir um cristão, eu não sou cristão. Muitas pessoas me dizem que existe uma maneira diferente de praticar a fé e quero permanecer aberto a isso, mas não estou lá agora.

Martinho Lutero disse que toda a vida dos crentes deveria ser de arrependimento. Há beleza nesse sentimento, independentemente da sua visão de Deus. 

Vivi em arrependimento nos últimos anos – arrependimento de minha autojustificação, minha abordagem baseada no medo da vida, o ensino de meus livros, minhas visões das mulheres na igreja e minha abordagem de parentalidade, para citar algumas. 

Mas eu quero, especificamente, adicionar um grupo a essa lista agora: para a comunidade LGBTQ+, eu quero dizer que sinto muito pelas opiniões que eu ensinei em meus livros e como pastor em relação à sexualidade. 

Lamento ficar de pé contra a igualdade no casamento, por não afirmar você e seu lugar na igreja, e por quaisquer maneiras que a minha escrita e fala contribuiu para uma cultura de exclusão e fanatismo. Espero que vocês possam me perdoar.”

Joshua Harris, pastor evangélico.