in

Pastor da Lagoinha repreende igrejas que reabriram: ‘Se um bar reabriu, e daí?’

O pastor e terapeuta Marcelo Torres, que lidera a Igreja Batista da Lagoinha em Rio Branco (AC), fez um texto com duras críticas aos pastores e igrejas que não respeitam as determinações das autoridades sobre o isolamento e distanciamento social na capital acreana.

Publicidade

“Não vejo perseguição nenhuma em relação as igrejas em Rio Branco. Esses dias vi um post de alguém falando que as autoridades perseguem as igrejas enquanto muitos bares estão abertos”, iniciou.

O pastor seguiu afirmando que a igreja não pode se basear nas decisões tomadas por donos de bares para estabelecer a reabertura de suas atividades presenciais.

“Não se pode comparar a postura de uma igreja com um bar. Da igreja se exige um padrão moral muito mais elevado. Ela deve ser ética, guardiã dos bons atos, defensora da vida e deve agir dentro da lei. Se um bar está aberto…e daí? A igreja vai usar isso pra justificar sua desobediência? O bar virou parâmetro pra igreja?”, questionou.

PUBLICIDADE

O pastor Marcelo deixou ainda uma passagem de Romanos 13, na qual Paulo diz que os cristãos devem obedecer às autoridades, pois elas foram constituídas por Deus.

“Portanto é necessário que lhe estejais sujeitos, não somente pelo castigo, mas também pela consciência”, (Romanos 13:5).

A Igreja Batista da Lagoinha foi uma das primeiras igrejas a adotar protocolos de distanciamento social, cancelando cultos e trabalhos presenciais, e migrando integralmente para o modo online, desde o início da pandemia. As atividades físicas ainda não voltaram desde então, por determinação do pastor-presidente, Márcio Valadão.

Publicidade

Pastor Abílio Santana teve caso com esteticista e se nega a registrar filha, diz site

Daniela Araújo casou em segredo com pai de seu filho: ‘Mal namorei’