in

Pastora deixa igreja e se torna atriz de sites adultos: ‘Parece um chamado’

Quem viu a pastora evangélica Nikole Mitchell durante os cultos não imaginava a mudança que ela estava prestes a fazer na carreira. A moça resolveu deixar de lado os costumes conservadores da religião e se tornou modelo em um site adulto. Agora, a atriz faz sucesso exibindo os dotes e afirma que nunca esteve mais feliz. As informações são do BHAZ.

Publicidade

Hoje, aos 36 anos, Nikole contou em entrevista ao canal This Morning, no Youtube, que cresceu em uma família religiosa nos Estados Unidos. Ela relatou que a falta de exploração da intimidade própria era um problema para ela.

“Eu parei de me encontrar com homens totalmente. Era horrível ficar com garotos no colégio, no sexo da adolescência não sabemos exatamente o que estamos fazendo. Decidi parar de ver qualquer um durante meu período na universidade”, afirmou.

Por conta da família, entrar para a igreja foi um caminho natural para ela. Nikole começou a dar sermões, se casou em 2009 e teve três filhos com o marido. Após o divórcio, ela começou a ficar desiludida com a profissão e começou a pensar que era bissexual.

PUBLICIDADE

Em 2017, aos 33 anos, ela abraçou sua sexualidade e, por isso, teve que deixar a igreja. Em 2019, ela começou a postar fotos íntimas no site OnlyFans, voltado para assinaturas de conteúdos exclusivos. Ela revelou que atualmente ganha por volta de 100 mil dólares por mês, o que equivale a aproximadamente R$ 560 mil reais.

O ex-marido apoia a nova carreira de Nikole e já até a fotografou em alguns dos cliques ousados da modelo. “Eu acho que nasci para tirar as roupas… parece um chamado. Eu amo muito isso”, afirmou.

A modelo ainda comentou que as opiniões sobre sua decisão são muito divididas. Enquanto alguns a apoiam e incentivam, outros são muito críticos. “Ainda assim, eu estou fazendo muito dinheiro e fazendo o que eu amo. E eu ainda acredito em Deus”, concluiu.

Publicidade

Ministério Público Federal denuncia André Valadão à justiça por homofobia

Equipe de reportagem da Globo é ameaçada e “presa” dentro de igreja no Pará