in

Culto das Princesas de Sarah Sheeva passará a ser pago para ‘impedir bagunça’

A palestrante Sarah Sheeva está planejando uma forma de promover seu famoso “Culto das Princesas” online, e questionou seus seguidores sobre um valor em reais que pudesse ser cobrado por isso.

Publicidade

A justificativa para a cobrança é a de que assim evitaria-se que pessoas entrassem na plataforma com o fim de criticar o culto e as doutrinas pregadas por Sarah Sheeva.

“Descobrimos que para fazermos esse trabalho ONLINE de forma SEGURA (que filtre os arruaceiros de plantão) precisaremos usar uma plataforma monetizada (cobrar) pelo acesso ilimitado às 12 lições. Esse é o melhor jeito de impedir que ocorra “bagunça” e deturpação das lições pela internet”, defendeu a pastora.

Sarah Sheeva falou em acesso “vitalício” para aquelas que decidirem pagar, mas não explicou a fundo como isso se daria.

PUBLICIDADE

Após algumas sugestões, que chegaram a bater os R$: 1.500,00, uma seguidora lamentou prever não poder pagar pelo culto: “Nossa achei que era um valor simbólico, para que todas pudessem participar…Princesa só poderei ser quando Cristo me buscar, por que nesse culto não poderei estar”, disse.

Sarah Sheeva disse que iria orar pela fiel, para que ela conseguisse pagar em breve pelo culto: “vou orar pela sua vida, para que em breve você tenha condições de investir em você”, afirmou.

O chamado “Culto das Princesas” alcançou forte repercussão nas mídias pelo seu conteúdo, recheado de discursos que pregam a castidade e a abstinência para as moças solteiras. Sarah Sheeva, por exemplo, diz que só beijará na boca depois que casar. As teorias da pastora, no entanto, não são consenso: parte dos evangélicos e líderes entendem que elas têm embasamento bíblico, enquanto outra ala enxerga fundamentalismo religioso e desconexão à realidade atual da igreja no mundo.

Publicidade

Fernanda Brum homenageia irmãos e posta foto criança: ‘Sempre estarão lá’

Renato Vargens repreende fala de Felippe Valadão sobre famosos