Conecte-se conosco

Mais Conteúdo

Silas Malafaia acertou sobre pastores presos pela Polícia Federal

Em março Malafaia cobrou da Polícia Federal e o MPF uma investigação contra os envolvidos

Publicado

em

Silas Malafaia - Foto: ADVEC

Em março deste ano, logo que veio à tona o caso envolvendo o ex-ministro Milton Ribeiro e dois pastores sobre a suspeita de montar um gabinete paralelo para liberação de verbas dentro do MEC, o pastor Silas Malafaia cobrou da Polícia Federal e o MPF uma investigação contra os envolvidos.

O líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC) pediu que os órgãos investigativos quebrassem os sigilos fiscal e telefônico de Arilton Moura e Gilmar Santos. Na época, ele também defendeu a demissão de Milton Ribeiro.

“Nós pastores evangélicos queremos pedir ao Ministério Público Federal e a Polícia Federal que investiguem e a afundo. Que quebrem o sigilo fiscal e telefônico desses dois pastores. Vai fazer um favor aos pastores evangélicos no Brasil. Somos mais de 200 mil pastores no país e não vamos tomar lama por causa de dois camaradas”, disse ele em 25 de março.

Milton Ribeiro, Gilmar e Arilton foram presos nesta quarta-feira (22/06), pela Polícia Federal. Ribeiro é investigado por corrupção passiva, prevaricação, advocacia administrativa e tráfico de influência por suposto envolvimento em um esquema para liberação de verbas do MEC.

Já Gilmar Santos e Arilton Moura são investigados por atuar informalmente junto a prefeitos para a liberação, por meio de concessão de propina, de recursos do Ministério da Educação. Os outros dois presos são Helder Bartolomeu, ex-assessor da Prefeitura de Goiânia, e Luciano Freitas Musse, ex-assessor de Milton Ribeiro no Ministério da Educação.

Depois das prisões Silas Malafaia voltou a defender as investigações contra o ex-ministro e cobrou a prisão de prefeitos envolvidos no esquema de liberação de verbas do Ministério da Educação.

“Algumas coisas estranhas. Primeiro, foi o ministro que denunciou à CGU de que suspeitava do envolvimento de pastores (…) Depois, outro fato. Se eles estão presos por suspeita de corrupção, cadê os prefeitos? Não tem prefeito suspeito? Corromperam quem? Ué, a Polícia Federal não pediu a prisão de prefeitos? Como é que é isso? Estranho, né?”, disse ele.

Silas pediu que todos sejam investigados: “Nós denunciamos e nós queremos investigação séria, doa a quem doer”, disse, mencionando a pressão da bancada evangélica pela apuração das denúncias no MEC.













+ Acessadas da Semana

Você não pode copiar o conteúdo desta página