Cantor gospel Israel Salazar, ex-Diante do Trono, luta contra câncer

O cantor gospel Israel Salazar, ex-back vocal do Diante do Trono que atualmente segue carreira solo, anunciou que estava lutando contra um câncer na área do pescoço. Trata-se do linfoma de Hodgkin, um câncer que afeta o sistema linfático, responsável por produzir as defesas do organismo.

Israel Salazar luta contra câncer de linfoma.

Israel Salazar utilizou suas redes sociais esta semana para anunciar aos seus seguidores que passaria por um procedimento de biópsia, com o fim de analisar a gravidade de seu caso, além de permitir aos médicos definir como todo o tratamento se daria. Na biópsia, ele conta que os médicos conseguiram retirar 8 dos 9 gânglios formados na região de seu pescoço, e comemorou o resultado. Por conta de uma possível quimioterapia, a agenda do cantor foi suspensa para os meses de março, abril e maio.  Assista:

O cantor está bastante confiante com o sucesso de sua recuperação logo em breve. Diversos cantores do meio gospel também mandaram suas orações e mensagens positivas para ele. O Pr. Lucinho, líder de jovens na Igreja Batista da Lagoinha, disse que amava Israel Salazar: “Ainda vamos rir muito disso juntos! Te amo”, comentou. O cantor gospel Juliano Son, do ministério Livres, disse que está intercedendo pelo amigo: “Nossa casa está junto em oração, querido. Força, graça e saúde sejam sobre ti, Israel. Que venha um novo cântico e exaltado seja o Senhor!”, emitiu.

O Linfoma de Hodgkin aparece geralmente na região do tórax, e pode acometer pessoas em qualquer faixa etária, mas é comumente diagnosticado em homens, entre 18 e 40 anos, como é o caso do Israel Salazar. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), nos últimos 50 anos, a medicina avançou e a incidência de novos casos dessa doença permaneceu estável (este ano já foram diagnosticados 2.530 casos deste linfoma no Brasil, entre homens e mulheres). Além disso, a partir da década de 70, com os avanço dos tratamentos, a taxa de mortalidade caiu mais de 60% em todos os casos. Segundo o instituto, quase todos as pessoas que são afetadas pela doença conseguem ser curadas com os tratamentos disponíveis atualmente.

Tadeu Ribeiro
[email protected]