Após interferência da Universal, novela Apocalipse fracassa na audiência

A Record TV viu no ramo das novelas religiosas uma importante fonte de audiência e receita, mas parece que a intromissão da Igreja Universal no roteiro das produções está refletindo diretamente nos números publicitários. Lançada com grande expectativa, a novela Apocalipse está sendo um fiasco de audiência e faturamento.

Segundo o colunista Flávio Ricco do Uol, a interferência da igreja evangélica de Edir Macedo foi crucial para que ela amargasse os números que vem registrando no IBOPE. As alterações impostas pelos religiosos da emissora chega a alterar o texto escrito pela autora, Vivian de Oliveira, a mesma autora de “Os dez mandamentos”, que estourou no Brasil e agora faz sucesso internacionalmente.

Mas o fato é que o mesmo frisson causado pela novela dos mandamentos de Deus para o seu povo não tem se repetido no folhetim atual, que conta a história do apocalipse. Dos quatro patrocinadores oficiais no início da exibição (Protex, Seara, L´Oreal e Caixa), apenas um continua anunciando na trama, o Protex (Colgate-Palmolive), segundo informações do TV Foco. E não é para menos. Entre 18 e 24 de dezembro, por exemplo, a novela Apocalipse fechou com apenas 6 pontos de média no Painel Nacional de Televisão, que faz a média IBOPE nas principais capitais e regiões metropolitanas do país, bem longe dos 15 que “Os dez mandamentos” costumava marcar, e bem abaixo do SBT, que na mesma faixa ocupa a vice-liderança com 8.

Por conta disso, a Record anunciou que a novela Apocalipse será encurtada, e uma nova produção bíblica deverá ocupar seu espaço. A ideia é contar a história da figura mais importante do cristianismo, o próprio Cristo. Conversas de bastidores dão conta de que a emissora de Edir Macedo sonha em ter o ator Rodrigo Santoro no papel principal, interpretando Jesus Cristo, mas nada foi confirmado ainda por nenhuma das partes.

Tadeu Ribeiro
[email protected]