Bola de fogo aparece no céu de Salvador e assusta moradores

Os moradores de Salvador, capital baiana, estão intrigados com um acontecimento. Na noite de ontem (20), um clarão, descrito pelos moradores como uma “bola de fogo”, rasgou os céus da cidade, por volta das 22h30, sendo visto em diversos bairros e principalmente na orla. A população, claro, se assustou. Alguns chegaram até a falar na internet que se tratava de um sinal do fim dos tempos, outros disseram acreditar ser apenas um fenômeno celeste. As informações são do jornal baiano A Tarde.

Clarão é avistado no céu de Salvador (BA).

Segundo análises preliminares, o objeto responsável pela luz deve ter caído no mar, mas a Marinha do Brasil informou que não foram verificadas nenhuma anormalidade marítima. O caso chamou a atenção dos soteropolitanos pelo fato de que no ano passado, dia 26 de março, um evento muito parecido aconteceu. Só que além da forte luz, foram observados tremores e um barulho estrondoso. Na época, falou-se em uma operação com caças supersônicos, realizados pela aeronáutica, entretanto, a Força Aérea Brasileira (FAB) disse que não havia nenhuma ação planejada.

Já sobre o fato ocorrido ontem, Alberto Brum Novaes, professor de física da Universidade Federal da Bahia (UFBA), explicou que a luz avistada trata-se apenas de um meteoro, ou “estrela-cadente” como é popularmente conhecido. Nesse caso, por óbvio, é uma estrela-cadente muito maior que as que habitualmente são vistas nos céus brasileiros. No entanto, explicou o físico, seu tamanho material não é tão grande assim. Ele avalia que esse meteoro devia ter o tamanho de um mouse de computador, e a claridade gigantesca se deu devido à enorme quantidade de velocidade com que ele era atraído à terra.

Mas, segundo o professor, não há com o que se preocupar, pois não existe perigo algum do fenômeno causar problemas por aqui: “É raríssimo disso acontecer. Para causar danos, ele tem que ser grande. Normalmente, assim que entra na Terra, por conta da enorme pressão da atmosfera, ele já começa a se deteriorar. Então, o que chega na Terra é pequeno”, ressaltou.

Os soteropolitanos, no entanto, seguem com mais atenção aos fenômenos vistos no céu de Salvador.

Tadeu Ribeiro
[email protected]