Israel abre igreja do Santo Sepulcro fechada três dias em ato de protesto

A igreja do Santo Sepulcro em Jerusalém reabriu seus portões, depois de terem sido fechados por três dias. Na terça-feira(27), a assessoria do primeiro ministro Benjamin Netanyahu, anunciou um comunicado suspendendo as medidas tributárias. Líderes responsáveis pelas propriedades eclesiásticas tinham tomado a decisão de fechar os portões, para protestar contra a decisão da prefeitura.

Portões ficaram fechados por três dias

O município de Jerusalém quer retirar a isenção do pagamento de impostos das propriedades que não são locais de cultos e educação religiosa. Os chefes se negam a aceitar cobranças das propriedades que geram receita, alegando que o local está isento de pagamentos municipais, devido a um antigo acordo datado da era otomana.

O presidente da Câmara Nir Barkat, disse que existe uma dívida acumulada e que eles tomaram a decisão correta. Há uma pendência acumulada ao longo de anos. “Fizemos o que faríamos com qualquer outro cidadão. Se não está satisfeita, a igreja está convidada a recorrer ao tribunal. Estou surpreendido que não o tenham feito”, disse o presidente. A informação foi citada pelo jornal The Jerusalém Post.

O Santo Sepulcro é conhecido também como a igreja da Ressureição, e é considerada pelos cristãos como o local em que Jesus foi crucificado e enterrado depois da última caminhada pela Via Dolorosa. Nos últimos três dias, os milhares de fiéis e turistas que foram ao local foram surpreendidos com o fechamento.

Os líderes representantes das três maiores comunidades cristãs alegaram que foi necessário o fechamento para protestar contra a politica “discriminatória” de Israel. Segundo eles, essa política atenta contra a presença cristã na Terra Santa.

Mas agora eles decidiram parar com o protesto alegando que a decisão implica no trabalho e na obra social diária que é feito em Israel.

Raquel Bispo
[email protected]
Com informações do jornal Expresso e G1.