Polêmica no Gideões: Pastor sugere que missionária tem “cabelo pixaim” e é acusado de racismo

O congresso evangélico dos Gideões 2017 envolveu-se em mais uma polêmica. Depois do Ministério Público pedir explicações aos organizadores do evento por terem recebido 720 mil reais (somadas verbas do Estado de Santa Catarina e o município de Balneário Camboriú), outro fator gerou discussão na edição desse ano, que aconteceu de 22 de abril a 1º de maio.

Isa Reis faz pregações pelo país como missionária evangélica, e esteve participando também do Congresso Gideões. Em sua palavra, ela criticou a atuação de alguns líderes religiosos, sem mencionar nomes, chamando-os de “árvores que não dão frutos”, o que irritou alguns pastores como Abílio Santana, que é bastante popular na Assembleia de Deus.

Abílio não deixou por menos, e usou sua palavra na sexta-feira para responder indiretamente a missionária. Embora não tenha mencionado seu nome, as indiretas parecem ser para Isa Reis. Só que além da questão do púlpito ter sido usado para troca de farpas entre os líderes, o que já é condenável, o Pr. Abílio utilizou de expressões que foram consideradas racistas pelos internautas.

Ele chamou a pessoa a quem as críticas eram direcionadas de “formiguinha voadora”. Em sua fala ele diz que “tem gente que é tão ruim que nem cabelo Deus dá”, e ainda insinuou que a pessoa usava “cabelo de defunto” que são colados “com aquela cola que só o Diabo e ela não tá vendo que tem cola ali”, numa clara alusão ao mega-hair.

Abílio ainda completou dizendo que se o cabelo “falso” dessa pessoa fosse puxado, apareceria um “pixaim”. Os insultos não pararam por aí, e o pastor ainda disse que as unhas dessa “formiga voadora” eram “unhas de barbie, unha falsa”. Não satisfeito, ele ainda disse que a pessoa em questão usava roupas que modelam o corpo e dão volume: “Ela não tem esse corpo todo”.

Após o comentário da roupa, o pastor passou a chamar a “formiga voadora” de “tanajura”. E finalizou dizendo que as tanajuras nascem pela manhã, mas morrem no fim do dia, enquanto que as águias (uma alusão a ele e aos outros pastores) vivem mais: “entra ano e sai ano, a águia tá voando”, levantando a plateia de pastores eufóricos que o assistiam, dentre eles o pastor e deputado federal Marco Feliciano (PSC-RJ) que vibrou bastante.

Assista o trecho:

Defesa de Abílio
Não houve menção direta a nomes, mas logo os internautas começaram a associar as críticas à missionária Isa Reis. E vários protestos com a hashtag #SOMOSTODASFORMIGAS obrigou o pastor a publicar um vídeo se desculpando e dizendo que o comentário não foi aberto a todas as mulheres, mas somente a uma pessoa, ainda sem citar nomes. Mesmo assim, pelo fato do “cabelo pixaim” ter sido descrito pelo pastor como uma espécie de castigo de Deus, dando a entender que não era um tipo de cabelo “bom”, o comentário tem fortes indícios de racismo.

Ele explicou no vídeo que o movimento feminino é muito forte e que não quis afrontá-lo:

Defesa de Isa Reis
Portal do Trono entrou em contato com a assessoria da missionária Isa Reis, que disse que iria nos responder assim que tivesse uma posição oficial, mas até o fechamento dessa matéria não houve retorno. O espaço continua aberto, e caso recebamos uma resposta mais concreta, atualizaremos a nota. A assessoria informou, no entanto, que Isa Reis está afastada das redes sociais desde então para evitar maiores constrangimentos e polêmicas.

Repercussão
O Youtuber cristão Paulo Santos, que possui o canal evangélico “No entanto”, disse que a atitude do pastor era lamentável, e que não esperava outra postura dele depois do episódio onde Abílio afirmou que Jesus era rico e tinha uma casa na praia. A advogada Damares Alves, que integra a assessoria jurídica da frente da família no Senado Federal publicou em seu facebook a imagem da campanha #SOMOSTODOSFORMIGAS e disse que também estava entrando na luta contra esse tipo de preconceito.

Alguns internautas manifestaram seus pensamentos:

Algumas imagens já fazem parte da campanha “#SOMOSTODASFORMIGAS” contra o racismo:

Tadeu Ribeiro
[email protected]



Comente!

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tadeu Ribeiro

Tadeu Ribeiro é editor-chefe e fundador do Portal do Trono. Atualmente é estudante de Direito na Universidade Federal de Campina Grande. Apaixonado por Deus, pela música e pela informação. Um chamado que está sendo atendido, e edificado milhões de vidas no Brasil e no mundo.

CLOSE